Reencontros emocionantes

Nala pôde voltar para casa depois de 10 dias

Por Fátima ChuEcco

Alguns mitos rondam o sumiço de gatos. Um dos mais perigosos é “Gato volta para casa sozinho”, o que induz tutores, muitas vezes, a tomarem providências tarde demais.

Muitos gatos de fato voltam quando as condições são muito favoráveis e eles não se machucam nem se perdem. Mas uma vez perdido, um gato pode enfrentar situações de extremo risco e até fatais. E isso pode, inclusive, acontecer bem perto de casa.

Para a gatinha Nala, de 4 anos, “voltar para casa sozinha” não foi uma alternativa viável. Ela foi encontrada suja e muito assustada no fundo de uma área destinadas aos pets de um condomínio de SP. Um lugar cercado de mato por onde ela poderia se embrenhar cada vez mais, se ferir e nunca mais ser encontrada.

Já se passavam nove dias desde seu desaparecimento quando a tutora Tamiris, de SP, resolveu pedir ajuda na AlertPet:

“Contratei o plano standart na sexta à noite e sábado ao meio-dia encontramos nossa gatinha. Ela foi reconhecida por um anjo que viu o alerta e nos chamou pelo whats app. A moça acreditava ser a minha gatinha perdida, então eu e meu esposo logo corremos para o local que era um condomínio próximo a minha casa. Superindico a AlertPet”.

Tamiris conta que a mãe da Nala foi abandonada na rua junto com os filhotes:

“Quando adotamos Nala ela cabia na palma da mão. Ela é uma gatinha muito esperta e inteligente e tem um irmãozinho, um gatinho de 5 anos, que ama muito. Eles dormem juntos, brincam de pega-pega e ela dá banho de língua nele. O brinquedo favorito dela é bolinha de sacola plástica que jogamos e ela corre para buscar e traz para a gente jogar de novo”.

O carinho com que Tamiris fala de sua gatinha já deixa claro o quanto foi difícil ficar longe dela por dez dias:

“Ficamos desesperados, pois, ela é uma gata caseira que nunca saiu para fora do portão. Mais por um descuido, ela conseguiu sair à rua atrás de pombos e o portão foi fechado deixando-a para fora. Como o portão e muro são altos ela não conseguiu entrar novamente e, devido ao barulho de carros, ela se assustou e acabou se afastando de casa”.

Tamiris e o marido seguiram o padrão de busca:

“Fizemos cartazes e espalhamos em comércios, petshops e clínicas veterinárias. Saímos todos os dias com o pote de ração pelo bairro chamando por ela e fizemos postagem em grupos no Facebook e Instagram, aliás, foi assim que fiquei sabendo da AlertPet e pude ter minha gatinha de volta. Quando a encontramos foi uma mistura de choro de felicidade e alívio por ver que nossa filhinha estava bem”.

Agir rápido é essencial

Embora o disparo de alertas “inteligentes”consiga bons resultados mesmo depois de semanas ou meses, quanto mais cedo esse serviço for realizado, mais chances existem de encontrar o bichinho em bom estado de saúde.

A AlertPet criou um pacote de busca que, além do disparo de alerta, que pode alcançar um maior número de pessoas independente de fazerem parte de grupos de animais perdidos, fornece também a arte de um cartaz com QRCode para que o tutor possa ser contatado instantaneamente.

Fátima ChuEcco é jornalista especializada em animais domésticos. Atuou durante 11 anos na Anda – Agência de Notícias de Direitos Animais e foi colunista de diversos veículos escrevendo artigos sobre cães e gatos. É autora de vários livros sobre animais como o clássico “MI-AU Book – Um livro pet-solidário”.

Como ter sucesso na busca por cachorros perdidos

A AlertPet oferece pacotes de busca de diversos preços e abrangências para facilitar o acesso desse serviço a todos os tutores que vivem a aflição de estar com um cachorro perdido.  Os alertas podem cobrir desde um bairro até uma cidade inteira, o que vem a ser muito útil, já que, como dito acima, cães podem percorrer vários quilômetros por dia.

A empresa também fornece a arte de um cartaz interativo com o QR Code da página do pet na internet para que o tutor possa ser instantaneamente contatado. Esse serviço é acompanhado por um suporte telefônico com atendentes especialmente treinados para lidar com esse momento delicado que todo tutor enfrenta quando perde um bichinho. E o tutor ainda recebe um relatório das ações empreendidas na busca. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *